quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Adjacentes e subjacentes

Adjacentes e subjacentes
Ainda que o Senhor é excelso, atenta todavia para o humilde; mas ao soberbo conhece-o de longe (Salmos 138:6).



A militância em diversas áreas de liderança da Igreja, ao longo dos anos, permitiu observar o paralelismo da caminhada de importantes personagens que carregam uma fragrante contradição. Quem é quem?

Adjacente é o que está ao lado, na periferia e é visível. O subjacente é muito parecido, está sempre ali, mas a diferença é que este é discreto, invisível e se porta sempre em segundo plano, por isso sub.

Lidamos com irmãos atuantes que fazem muito bem a função de adjacente, gostam de falar, cantar, dirigir, pregar, discutir e isso é bom. Estão sempre no palco e fazem questão de serem observados na sua participação, e até se elogiam por isso. São importantes adjacentes que mais parecem “Estrelas”, ou melhor, “Cometas” e realmente chamam a atenção. Como se diz, estão na “tela” e a meta é ser o personagem principal.

Na outra ponta irmãos mais recatados que também trabalham, só que discretamente. Se pudéssemos ter melhor visibilidade diríamos, são esses os que realmente fazem diferença. Podemos contar com eles a qualquer hora, não são carentes de elogios e nem fazem disso questão. Os subjacentes não são vistos, não tem uma “cauda luminosa” e estão prontos para o que der e vier. Não têm preço, porque encarnaram o verdadeiro significado de servo. O que lhes importa de verdade é o sucesso do serviço e não sua esplendida aparição com aplausos.

Os subjacentes não determinam, não são exigentes, são cooperadores, voluntários, compreensivos, comportados, respeitadores e com adjetivos assim intermináveis.

Os adjacentes são convenientemente periféricos. Está, mas não está, vive a espreita do momento adequado a melhor audiência. São exigentes, intolerantes, provocadores, debochados, vingativos, sínicos e características outras assim inomináveis.

A simplicidade da pomba nos induz a pensar que na Igreja de Cristo só tem subjacentes. Aliás, ostentamos todos, uma invejável placa de “servo”. Contudo, a recomendação pela prudência da serpente, nos garante que a proliferação de adjacentes na Igreja nunca esteve tão fora de controle, como no século XXI.



Dc. Edson Cavalcante dos Santos.

Rio de Janeiro, 21 de dezembro de 2010.

Igreja Batista em Vila Jaguaribe – Piabetá – Magé – RJ.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Anticorpos dominados.

Você sabe como funciona uma cirurgia para transplante de órgãos?

Transplante de coração, por exemplo?

No início não funcionava muito bem porque logo após a cirurgia, quando o paciente estava se recuperando, de repente ele morria! Os médicos ficaram muito intrigados com isso até que finalmente descobriram a razão da rejeição.

O que acontecia era que os anticorpos do paciente cercavam o coração considerando-o como um intruso e ...matavam a pessoa!

Essa situação tem tudo a ver com o que está acontecendo na Igreja hoje e como satanás está atuando.

Nós sabemos que a Igreja não recebe doação de órgãos e por isso a razão da Igreja aparentar estar doente não é por esse motivo.

Mas qual seria então o motivo?

Percebam que os anticorpos cercam aquilo que for considerado invasor e o elimina.

Voltando para o paciente que recebe doação de órgão, preciso dizer qual foi a forma que os médicos encontraram para resolver o grande problema de rejeição.

Eles conseguiram criar uma forma para invalidar os anticorpos de tal maneira que eles não possam agir até que o órgão recebido pelo paciente seja considerado parte do organismo!

Surpreendente, não é mesmo?!

Acesso o site e leia sobre Supressão do Sistema Imune e também sobre Transplante de Coração.
http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/manual_merck/secao_16/cap_170.html

Assim, usando a mesma tática satanás está fazendo com que os "anticorpos" da Igreja estejam sem ação e dessa forma a Igreja está sendo invadida sem que se perceba. Pelo menos a maioria não percebe porque está zonzo e vai permitindo a entrada das heresias como se fosse algo muito normal.

Ainda há algo mais terrível que foi descoberto na medicina e que me deixou atônito quando li.Trata-se de como o vírus da AIDS age no corpo humano. É algo diabólico!

Nós temos "soldados" em nosso corpo que agem defendendo o nosso organismo formando verdadeiros batalhões. Esses soldados obedecem as ordens dos generais que são orientados por nossa mente. Esses generais mantém contato direto e reagem instantaneamente quando a mente lhes direciona sobre invasores.

Mas, para horror nosso, o vírus da AIDS não ataca os soldados. Antes, ataca os "generais" que ao receberem as orientações da mente permanecem sem tomar a ação devida.

Confira: http://www.aids.gov.br/pagina/sintomas-e-fases-da-aids
Confira também e principalmente: http://www.aids.gov.br/pagina/sistema-imunologico

Acrescento hoje, 09/11/2012, mais um endereço para que seja útil àqueles que desejarem conferir:
O texto abaixo foi retirado da página: http://saberviver.org.br/publicacoes/hiv-x-cd4/
Para contaminar uma pessoa, o vírus da Aids (HIV) precisa entrar em sua corrente sangüínea. No sangue, ele busca principalmente os linfócitos T-CD4, que são células muito importantes para defender nosso organismo das doenças.
Utilizando uma enzima chamada transcriptase reversa, o HIV entra nas células CD4 e se multiplica com uma velocidade imensa. Poderíamos dizer que o CD4 deixa, então, de ser uma célula de defesa para ser uma fábrica de vírus HIV.
Milhares de novos vírus saem de um CD4 já infectado utilizando outra enzima, a protease, e partem em busca de novas células CD4.
Ao mesmo tempo em que o ataque às células CD4 e a multiplicação intensa do vírus HIV estão acontecendo, bilhões de outras células CD4, que ainda não foram atacadas, estão se multiplicando em nossa corrente sangüínea também.
Durante os primeiros anos, após a contaminação pelo HIV, a destruição causada pelo vírus não é suficiente para fazer com que o sistema imunológico da pessoa soropositiva perca a função. Para que a defesa do organismo fique seriamente comprometida é preciso que muitas células de CD4 sejam destruídas e isso leva alguns anos.
Se o sistema imunológico perde sua capacidade de defender o organismo de doenças, é necessário começar o tratamento anti-HIV. Nesse caso, os medicamentos anti-retrovirais são os grandes aliados. Eles atuam defendendo as células CD4 do ataque do vírus da Aids, impedindo-o de se reproduzir.
Quando a quantidade de CD4 no sangue está em torno de 200 células por mililitro de sangue (a contagem normal é em torno de 1.000 CD4 por mililitro de sangue), os médicos consideram que o sistema imunológico está bastante enfraquecido. Pessoas com CD4 abaixo de 200 correm o sério risco de sofrerem doenças oportunistas.
Com a ajuda dos anti-retrovirais, a quantidade de HIV no sangue (carga viral) vai diminuindo e pode se tornar indetectável. Desse modo, as células de CD4 podem continuar se multiplicando livremente e assim o sistema imunológico fica fortalecido e volta a ser eficaz contra as doenças.
Se o nível de CD4 estiver muito abaixo de 200 ou se a pessoa estiver com doenças oportunistas, a agressão ao sistema imunológico foi muito grande. Nesse caso, ele pode demorar mais tempo para se recuperar, mas mesmo assim há grande chance de recuperação.
O QUE ISSO SIGNIFICA

CD4
 - São células muito importantes para a defesa do organismo. Elas comandam nosso sistema imunológico


Carga viral - Quantidade de HIV presente no sangue. Dizemos que a carga viral está indetectável quando os exames normalmente utilizados para medir a carga viral no sangue não conseguem detectar a presença do HIV. Existem diferentes métodos de detecção e os limites mínimos de detecção são variáveis

Sistema imunológico - Sistema responsável por defender o organismo de doenças

Doenças oportunistas - Doenças que surgem em conseqüência da deficiência do sistema imunológico, criando, assim, a oportunidade de microrganismos comuns proliferarem e se tornarem agressivos

Medicamentos anti-retrovirais - São os medicamentos que defendem o CD4 do ataque do HIV. 

Atualmente, existem dois grupos de medicamentos anti-retrovirais: os que inibem a transcriptase reversa e os que inibem a protease

Transcriptase reversa - Enzima que o HIV utiliza para entrar no CD4
 

Protease – Enzima que os novos vírus HIV usam para sair da célula CD4 prontos para infectar um outro CD4

Se o vírus da AIDS adentra o organismo através da seringa e de relações sexuais, a heresia tem penetrado principalmente através das músicas. Percebam que as músicas "gospel" estão ficando cada vez mais sensuais e envolventes, oferecendo maiores possibilidades de contaminação...

A fórmula satânica pode ser observada diante do ataque ao líder e a liderança da igreja como sua tática destrutiva, deixando-os sem reação.

E parece que muitos dos nossos líderes não estão se dando conta dessa situação. Afinal as consequências das heresias assim como as consequências da AIDS demoram um pouco para que sejam percebidas. No início nem se imagina que a pessoa esteja doente, porque aparenta boa saúde.

Como pacote atrativo para enganar os líderes, satanás tem entre outros apresentados o G12 e a Igreja com Propósitos, através dos quais aplica seus propósitos infernais.

Qualquer coisa que afaste o membro da leitura e meditação Bíblica, desviando-o para outros livros e métodos de crescimento deverá ser considerado astúcia diabólica.

Há outras formas de investidas de satanás, pois sabemos que ele é astuto.

Em alguns líderes ele insufla a soberba de tal maneira, aproveitando o bom trabalho que vinha realizando, que o líder se torna cego diante da sua condição humana, abandonando a atitude de servo tornando-se soberbo e passando a desejar ser servido. Diante disso a presunção toma conta e ele não aceita qualquer orientação, desconfiando de todos como se fossem seus inimigos. Menospreza seus liderados sem ouvir qualquer orientação, aceitando apenas a aproximação daqueles que lhe dizem o que ele quer e gosta de ouvir. E também, como consequência da soberba, considera que pode praticar quaisquer pecados sem ser confrontados por isso, devido ao fato de se considerar um ungido de Deus e que por isso ninguém pode ousar advertir e ou exortar diante da Bíblia, a Palavra de Deus.

Sentindo-se inatingível, faz as coisas que deseja fazer e usa as pessoas para conseguir seus objetivos sem se importar com o que pensam, usando-as até mesmo para satisfação pessoal.

A Igreja passa ser o seu reino particular onde todos têm de acatar suas decisões.

Normalmente esses líderes ficam ansiosos para fazer calar aqueles que não se deixam impressionar pela sua doentia liderança e que não aceitam tal atitude na Igreja de Cristo.

A partir disso ocorre o mal estar do corpo fazendo-o adoecer.

Para que não seja percebido, o líder inventa atividades e pressiona seus liderados para que animem e não permitam que o corpo seja percebido doente.

É o que tenho percebido acontecer nas Igrejas das quais chegam esse tipo de notícia.

Só contamos mesmo é com a Misericórdia do nosso Deus.

Essa é uma das razões para a qual chamo a atenção daqueles que estão participando desse grupo conosco. Há muito trabalho para ser realizado e não podemos ficar de braços cruzados.

Deus nos abençoe e nos use.

Dc. Henri - membro da SIB Magé e da Comunhão Batista Clássica.


Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

domingo, 28 de novembro de 2010

Culto; cheiro de morte ou de perfume?!

Isaías 1 : 13
Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene.


Quanto aos corais, quartetos e as demais participações musicais, e poesia também, tudo isso não é para atrair e ou cativar os visitantes. Aliás, digo que os visitantes ainda criaturas têm a oportunidade de encontrarem na reunião da Igreja em culto a Deus a oportunidade de morrerem através do poder do Evangelho. Há de ter no culto a Deus um cheiro de morte para as criaturas que as impregne a ponto de sentirem esse cheiro durante dias.

Daí seria aviltante a troca desse cheiro de morte pelo perfume das delícias musicais, porque atrapalharia a meditação naquilo que pode salvar.

As participações em geral, sejam música, poesia, ou qualquer outra coisa, não podem atrapalhar ou disvirtuar a atenção impedindo a morte das criaturas presentes no culto. Elas estão ali com uma oportunidade especial para morrerem!

Imagine essas criaturas sendo transformadas pelo poder do Evangelho naquele culto e se tornando assim um filho de Deus!

Muitos consideram o momento de comunhão com os irmãos como sendo a maior coisa de suas vidas e, incentivados pela liderança de animação de cultos, querem vibrar com aquilo que lhes é oferecido como motivo de alegria e transbordamento exagerado de emoções, perdendo a racionalidade exigida para um culto a Deus.

O resultado disso é que cada vez menos percebemos conversões e cada vez maiores aglutinações nas Igrejas de criaturas satisfeitas com o perfume oferecido.

Mas chamo a atenção para o fato de que não se consegue realizar um encherto numa árvore, apenas chegando perto do tronco um galho qualquer. É preciso grudar bem e cuidar desse galho que será enchertado, prendendo-o ao tronco de tal forma que ele seja transformado em parte desse tronco.

As músicas e todas as outras participações no culto são para louvar a Deus e aproveitar para apresentar o Evangelho à criatura.

Para isso é preciso que a letra daquilo que se cantar tenha teor Bíblico e a música não seja impecilho para que a letra chegue dos ouvidos ao coração da criatura.

Uma música muito alta impede que a criatura ouça a Palavra incutida nela e uma música insinuante atrapalha a percepção da criatura para o teor Bíblico da letra.

O emocionalismo exarcebado também é uma tática diabólica para impedir que a semente penetre e germine.

Imaginemos o culto sendo também uma semeadura. Ninguém inteligente semearia em locais pedregosos, beira de estrada, entre espinheiros, ou soltaria as aves logo após semear, não é verdade?!

Há aqueles que vão para a reunião da Igreja com intuito de divertirem-se despreocupadamente sem perceber que estão diante de uma oportunidade especial demais para desperdiçarem com carnalidades. Estão diante de Deus, que espera daqueles que se reúnem em nome de Jesus Cristo, o perfeito louvor! E também estão diante de criaturas que podem encontrar a maior felicidade de suas vidas!

Desperdiçar esse momento com bobagens emocionais é uma tremenda perda de tempo! É algo irracional! É semelhante o ouvir da Eva ao sussurar da serpente para que se desviasse da orientação dada por Deus.

Não estou dizendo que o culto tenha de ser triste. Aliás, não há como ser triste. Mas não pode forjar na criatura, que visita a reunião da Igreja, uma alegria genérica.

As participações precisam, louvando a Deus, demonstrar a possibilidade de conversão naquela criatura que se faz presente, confrontando-a com a sua situação de alma perdida.

Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Salmos 32:1
E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho. Marcos 1:15


O cheiro de morte é para a criatura o de perfume para os filhos!

Só aqueles que sentiram um dia o cheiro de morte podem agora sentir o perfume da vida!

Os filhos precisamos entender que fomos impactados pelo cheiro de morte até que nos transformamos em filhos. Por isso precisamos abrir mão do cheiro de perfume enquanto houver criaturas para serem impactadas pelo cheiro de morte também. Fico entristecido ao observar os filhos insistindo em se divertir durante o que deveria ser um culto e impedindo que as criaturas sejam impactadas pelo Poder do Evangelho.

A pregação do Evangelho tem cheiro de morte!

Infelizmente tem pregadores perfumando a mensagem e deixando de pregar o Evangelho para que sejam considerados bons pregadores e aufiram lucro com isso. O Apóstolo Paulo orienta apedrejar esses tais infames.

Deus nos abençoe e nos use.

Dc. Henri - membro da PIB Magé e da OBBH.


Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

Você pode receber milagres de Deus sem conhecer o Deus dos milagres.
Mas é impossível que você receba o perdão de Deus sem ter uma experiência com Ele.


Endereço do meu Blog: http://henripib.blogspot.com/

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Alegria de crer!

Não posso ceder à tristeza da espera

da volta de Cristo, que nos arrebata.

Sei que Ele volta a buscar Sua Igreja

Que O espera tranquila a dizer: Maranata!

A Beleza do Céu é incomparável...

Nada aqui na Terra, por mais lindo sendo,

nem amor ou justiça e tudo que é amável,

há de nos mostrar algo mais tremendo.

Aguardo, em certeza que a Bíblia nos dá,

toda essa Beleza que existe no Céu.

Estou esperando do dia a chegada

com a fé e a coragem que em meu peito há.

Pois, quando pensamos na eternidade,

que junto a Jesus iremos ficar,

pacientes ficamos, em fé e verdade,

falando para todos que vão se salvar.


Irmã Mary Schultze & Dc. Henri.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Servo é pra servir!

Ser um servo é a maior aspiração de quem conheceu Jesus Cristo!
É aonde podemos ir, o mais alto a se pretender e querer conseguir.
Ah se eu conseguisse tal coisa alcançar! É nessa meta que eu insisto,
Ser parecido com o meu Mestre, que me ensina, me faria muito sorrir!

Quem da Salvação, a alegria imensa, já experimentou um dia, a Bela!
Almeja compartilhar aos seus, conforme a recebeu, mostrar o Preço.
Querendo o Bem compartilhar, feliz, que impagável, nos é de Graça,
Mas tão valiosa que, tão cara, jamais inegociável, que não A mereço!

Só mesmo Deus com tão grande Amor poderia algo assim imaginar!
Que Se dando, ao pecador, remindo-o de tal pecado assim pudesse.
Dar-nos o Perdão que nos afasta do que entristece, podendo alegrar,
E pra sempre,pra todo sempre, perto dEle, sendo dEle, assim fizesse!

De que mais se precisa, o que nos faria então falta que possa atrapalhar?
Se temos tudo que se precisa, para servir, viver e testemunhar com vigor?
Tendo nEle a Esperança de que tudo Ele nos faz para vivermos aqui, Amar.
E que nada nos falta, mais que pedimos e que merecemos e o Seu Amor.

Ser servo é bom, é o melhor dessa vida.
Servir é ser dEle, ter o que Ele nos dá!
Que alegria tão grande se pode conter?
Ele dá a quem quer, e a quem quer receber!

Diácono Henri
PIB Magé-RJ
Membro da OBBH.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Que é a nossa vida?

Seria melhor para o homem se fosse imortal?
Viver sempre aqui sem um dia final?
Sendo mesmo bons dias, os aproveitaria?
Melhor aqui do que a do céu, há alegria?!

E quais canções mais belas compartilhar
Com Deus, sem nada, pecado a atrapalhar,
Os ouvidos perfeitos, as canções ouvir
Naquele celeste, desejado e doce porvir!

E juntos com Cristo com anjos louvando
A Deus bem servindo e juntos honrando,
Cantamos, bradamos dizendo: a Ti Glórias!
Enquanto aqui só contamos histórias.

Que mui grande festa será ali encontrar
O Wagner, Adriano e tantos outros ali.
A Cristo, com todos que vão nos cercar,
"Bem vindos", ouvirão entre eles o Henri.

Se eu morresse amanhã, os amigos e irmãos
Lembrariam das coisas, só as boas que fiz,
Chorariam e apertariam a fronte com as mãos
Mas saberiam que no céu serei bem mais feliz.

Enquanto aqui, usar, quiser Deus minha vida,
A gastá-la eu vou com prazer e satisfação,
Seja qual a tarefa e qual seja a lida,
Vou viver pra cumprir com a ajuda do irmão.

Diácono Henri.
Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!
*Você pode receber milagres de Deus sem conhecer o Deus dos milagres.
Mas é impossível que você receba o perdão de Deus sem ter uma experiência com Ele.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Igreja com Princípios

Entre muitas coisas uma Igreja precisa de Princípios!

Por isso apóio uma Igreja com Princípios Bíblicos!

Porque uma Igreja pode ter muitas coisas mas se não tiver Princípios Bíblicos será fraca.

Uma Igreja precisa de membros que também tenham princípios.

Porque se os membros não tiverem princípios serão um desastre na sociedade e na Igreja!

Uma Igreja pode ter ar condicionado central, bebedouros dos melhores, banheiros aprimorados, equipe de louvor muito atrativa, poltronas confortáveis, etc...

Mas se não tiver princípios Bíblicos será como se não tivesse portas e janelas!

É um despropósito uma Igreja e seus membros sem princípios. E os líderes deveriam priorizar e mostrar os princípios aos membros acima de quaisquer outras coisas.

Um dos maiores propósitos que se deveria ter é o Princípio Bíblico!

Muitos estão ensinando coisas vãs para as Igrejas desejosos de verem as pessoas enchendo o espaço. E essas coisas são encontradas facilmente nos muitos livros importados que estão sendo considerados a última moda para as Igrejas.

Mas o Princípio é adquirido através da Bíblia Sagrada. E quanto mais se lê, mais se percebe quanto pobres são os outros ensinamentos. Mas se levará mais tempo para encher a Igreja de pessoas.

Devemos fazer semelhantemente fizeram Daniel, Azarias, Hananias e Misael e preferirmos alimentos que não sejam contaminados e desprezando as iguarias do príncipe desse mundo.

Para que isso aconteça é preciso que se tenha Princípios Bíblicos. Que se busque uma vida com propósito Bíblico e não de um livro qualquer.

Experimente viver por quatro semanas (não precisa quarenta) alimentando- se da saudável Palavra de Deus e depois compare como você era antes. Perceberá que o resultado produzido pela leitura, meditação e prática na Palavra de Deus promove com muito mais eficiência, resultados duradouros e felizes. Afinal, o fortalecimento que a Bíblica produz não pode ser comparado com as "bombas" anabolizantes que alguns estão oferecendo aos crentes por aí.

E no final da experiência com a Bíblia, perceberá que uma Igreja saudável tem o seu propósito na edificação dos membros e não em transformá-los em vendedores ambulantes de aparência cristã. E muito mais do que aparência o cristão precisa ter sua fé fortalecida diariamente. E não se consegue isso de outra maneira, nem com milhões de livros de auto ajuda, mas exclusivamente com a Bíblia, a Palavra de Deus.

Diante disso que leu, você pode estar questionando por que os líderes que sabem disso não aplicam isso à Igreja. Respondo dizendo que para muitos líderes, os seus liderados lerem e meditarem na Bíblia é um desastre. E é assim porque quando se lê e medita na Bíblia conseguimos perceber e passamos fazer as coisas que agradam a Deus, rejeitando as coisas que os líderes impõem querendo aproveitar-se da boa vontade dos liderados.

Assim como um excelente técnico orienta bem o atleta que treina, o líder chamado por Deus orienta bem aqueles que fazem parte da Igreja de Cristo. E um técnico quer o melhor para o atleta, quer que ele tenha saúde, excelentes condições físicas e capacidade para vencer. Assim também, o líder espiritual quer o melhor para seus liderados e lhes oferece o que tem de melhor, evitando as fábulas, crendices e tudo aquilo que não sirva ou que atrapalhe o desenvolvimento do liderado. Por isso, o verdadeiro líder espiritual se concentra na Bíblia e oferece porções especiais de tal forma que os liderados consigam vencer, e vencer não apenas como o atleta, mas vencer como Jesus Cristo venceu.

E você prefere ter alimento sólidos com princípios Bíblicos ou está se deixando envolver com as gororobas desse mundo?!

Dc. Henri - membro da OBBH.


Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Música pra louvar ou satisfazer?!

Parece que há uma confusão sobre esse assunto.

Quando falo ou escrevo sobre a qualidade da nossa música, a música dos salvos, aquela que usamos para louvar a Deus, falo de qualidade quanto a música (melodia,harmonia e ritmo) e da poesia (exclusivamente com teor Bíblico).

Não se trata de gosto pessoal e nem de gosto regional.

Então, diante disso, não há como se considerar quadrada ou antiquada uma música de maneira que não a possamos cantar.


É preciso ter muito cuidado com isso porque considero ser exatamente essa maneira de pensar que está destruindo a música que os salvos usamos para louvar a Deus.

Há uma música dos salvos e ela é aquela que é cantada para adorar a Deus!

O problema é que estão enchendo as Igrejas de criaturas e essas criaturas não conseguem cantar a música dos salvos.

A música dos salvos exalta a Deus e humilha o "Eu"!

Diante disso, reparem naquilo que se tem produzido para que os salvos cantem tentando substituir aquilo que temos.

E diante de locais lotados por criaturas (insisto nisso) com gente ávida pela necessidade imensa de auto satisfação e reconhecimento, precisando de auto sugestão para sua vida mesquinha, essas criaturas acabam presas fáceis daqueles que movidos pelo diabo as mantém dependentes e por isso usufruem daquilo que essas criaturas podem lhes oferecer.

Uma vez essas criaturas conhecendo a Verdade serão libertas e não mais servirão aos propósitos humanos dos líderes mesquinhos e, então, poderão cantar a música dos salvos.

Enquanto isso não acontece sofreremos os ruídos que são escolhidos pelas criaturas como aquilo que mais lhes agrada.

Deus nos abençoe e use!

Dc. Henri - Membro da OBBH.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Afastamento da Palavra de Deus.

Os nossos grandes problemas denominacionais são consequência do afastamento da Palavra de Deus.

A relativização de hoje, segue a contextualização de ontem por causa da má interpretação de outrora.

Deus fala, determinando e exortando. O homem traz essa ordem para a sua atualidade, e satanás aproveita isso para relativizar, dizendo que não é bem assim!

Como não se percebe de imediato o estrago feito, porque ele demora algum tempo para acontecer, aqueles que se envolvem nessa atitude lamentável, não o percebem.

Aquilo que não for orientação Bíblica vai de encontro a vontade de Deus e o risco assumido é imenso, trazendo consequências trágicas.

Vejam por exemplo o tempo que levamos para perceber o imenso equívoco quanto a educação de filhos apresentada por sociólogos incrédulos, quando relativizaram a orientação Bíblica por causa da contextualização, diante de pensamentos modernos de educação.

Além desse exemplo, há outros, que talvez os nossos irmãos não estejam percebendo. Mas precisamos fazê-los perceber. Afinal, o abandono à Palavra de Deus só pode trazer estragos.

Não se pode, em nome da modernidade, abrir-se mão da Bíblia, porque é através da Bíblia que Deus conduz aqueles que se dispõem no Serviço conforme o Seu Propósito.

A denominação Batista tem menosprezado a Bíblia através de algumas Igrejas participantes que insistem em agir conforme lhes pareça melhor.

Percebemos que nenhuma atitude é tomada através da CBB quanto a isso. Com essa atitude desleixada da CBB a corrupção tem encontrado as portas abertas e contaminado as outras Igrejas também. Essa atitude medrosa não adianta de nada porque ao longo do tempo essas Igrejas sairão da CBB. Mas sairão deixando um estrago imenso naquelas que permanecerem.

A preocupação da CBB em manter uma quantidade grande de Igrejas filiadas está desfigurando os Batistas brasileiros e estamos perdendo a nossa identidade. Muitos já estão dizendo que não duraremos mais muito tempo.

Sabemos que uma Igreja é autônoma e que a CBB serve as Igrejas. Mas a CBB se esquece que o servir as Igrejas, todas elas sem distinção, significa servir aquelas Igrejas que se mantém fiel a Bíblia de onde tiramos a nossa doutrina.

Não se pode, em nome de uma falsa expectativa de crescimento ou manuntenção de quantidade de Igrejas filiadas, permitir-se que sejam impostas a todas as Igrejas os desvios doutrinários que tomamos conhecimento, e que por ser uma praga, vai se alastrando a cada dia, prejudicando uma denominação que tem tudo para ser aquela que aponte a melhor prática do que temos nas Escrituras.

Até parece que não existe na CBB a possibilidade de que aqueles que estejam interpretando a Bíblia de maneira diferente tenham a oportunidade de sair.

Da mesma maneira que um membro é desligado de uma Igreja quando interpreta a Bíblia de maneira diferente, insistindo em contrariar o que temos considerado como melhor interpretação, a associação e convenção a qual uma Igreja está ligada, pode retirar essa Igreja se, após exortação perceber a insistência na permanência do desvio Bíblico doutrinário.

Considero que falte essa atitude, porque se estivesse sendo tomada, por certo muitas Igrejas pensariam melhor antes de se enveredarem pelos caminhos distantes da Palavra de Deus conforme o próprio Deus orienta.

E como um abismo chama outros abismos, temos percebido desvios não somente nas Igrejas mas nas instituições em geral da CBB, com desmandos e prejuízos imensos a denominação como o mais recente acontecido no STBSB.

Já escrevi há algum tempo sobre a eficiência da JMN e do problema sério que teremos com os frutos colhidos através da ação veloz e intensa de semeadura que temos tido notícia. E o nosso problema é que corremos um risco enorme de não termos onde colocar o que se colher, por causa dos "celeiros" despreparados para essa colheita, não nos permitindo que essa eficiência sejam também seguida de eficácia.

Os missionários espalhados pelo nosso país estão semeando muito. Mas não se está preparando os "celeiros" para que estejam prontos. E é Bíblica a orientação de que seja uma boa atitude a de se preparar celeiros em condições de receber a colheita. De outra maneira, o que for colhido poderá estragar-se com os fungos da heresia ou estragar-se ao ser colocado junto com outros frutos deteriorados.

Talvez seja a hora de se fazer uma pesquisa com todas as Igrejas Batistas lhes perguntando sobre a eficiência e eficácia da CBB, permitindo assim que a CBB perceba qual seja a vontade das Igrejas as quais serve.

Já não é a primeira nem segunda vez que escrevo, e parece que estou completamente equivocado quanto as minhas percepções e que nada disso que escrevi seja assim. Gostaria muito que fosse equívoco da minha parte e que a nossa denominação esteja no melhor caminho e que as Igrejas filiadas estejam vivendo conforme orienta a Bíblia, a Palavra de Deus.

Quando percebemos que a liderança está deteriorada, não se importando com a denominação, procurando apenas o bem de si mesmos e dos seus mais ligados diretamente, concluimos que os membros correm risco de não se importarem também. Mais cedo ou tarde acabaremos todos tomando ciência desse desleixo com a denominação, Igreja e Palavra de Deus.

Deus nos abençoe e use!

Dc. Henri - membro da OBBH.
Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

Endereço do meu Blog: http://henripib.blogspot.com/
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=4370180094065783857

terça-feira, 18 de maio de 2010

Louvor Agradável!

O nosso inimigo conseguiu que Eva lhe desse atenção.
E inoculou nela o veneno fatal da auto confiança...
O primeiro Adão, apático, omisso, impotente, nada fez.
E com isso, perderam a comunhão diária com Deus!

O nosso inimigo, satanás, investiu contra a "segunda Eva".
Queria, o astuto e ardil, nEla injetar o seu feroz veneno...
O segundo Adão, Jesus, com muito amor deu a vida por Ela.
Conseguimos então,e mantivemos a comunhão com Deus.

Mas o inimigo sagaz quer interferir nessa comunhão.
E conseguiu o método mais eficaz que se poderia imaginar.
Usando a tática da "expressão de louvor", injeta o seu veneno.
E em nome da adoração, a Igreja aceita e perdemos parte da comunhão.

Esse veneno cega e ensurdece, caminha lentamente pelas veias da arte.
Restringe o Amor, aprofunda os amores, impede que se louve e adore...
Em barulho, se tranformou a música e em uma triste dança, a poesia...
Já não temos mais a beleza do cantar, que se expressava em voz nossa alegria.

E pra louvar, nós temos de gritar, ou então, sermos todos abafados,
Pelos tons mais altos que tilintam...E de pé, quase sempre obrigados.
Quem me dera pudesse promover, qual o Daniel, que tão longe conseguiu,
A dieta do "rei" ser evitada, e por um tempo cantar mas só os hinos...


Sem barulho e ruídos transpassantes, e o que nos tira da voz o bom louvor.
A cantar com ardor altissonantes, belos hinos, ao nosso Pai e Deus de Amor.
E assim com toda a Igreja a Deus louvando e com Graça a outros cativar,
À medida que eles vão chegando, podermos juntos, sim, e felizes Adorar!

Dc. Henri - PIB Magé- RJ.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

A força da ignorância (ou: socorro, não agüento mais cantar corinhos!)

Vivemos mesmo numa época de ignorância, de obscuridade intelectual e de irracionalismo. Infelizmente, a ignorância tem se tornando jóia cultivada neste país, e os mais pensantes são cada vez mais postos de lado. Quando um político de expressão nacional diz que livro é como academia de ginástica: a gente olha e foge, é porque a coisa ficou feia mesmo. O pior é que a ignorância é cultivada com arrogância. Parece que quanto mais ignorante, mais digno de crédito. E a espiritualidade evangélica tem se distanciado do pensar, que tem sido cada vez mais visto como ato carnal, quando não diabólico. A ignorância está em alta. Está difícil ser evangélico, também, hoje, a quem é pensante.

Ouvi no noticiário televisivo: um rapaz de vinte e poucos anos, gaúcho, estudante de Teologia na Bolívia, desapareceu nos Andes, quando fora escalar uma montanha de 6.300 metros. O rapaz não tem experiência alguma de alpinista, e ainda assim foi sozinho porque, segundo a mãe, queria ter uma experiência com o Espírito Santo, queria encontrar o Espírito Santo. Como achou que ele é boliviano e mora nos Andes foi fazer a escalada.

Com todo respeito: o que leva a uma pessoa a sair do Rio Grande do Sul onde há bons seminários, passando pelo Paraná, onde também os há, e ir estudar Teologia na Bolívia? Respeitosamente: desde quando a Bolívia tem expressão em ensino teológico? Este jovem não tinha um pastor que o orientasse? E o que leva alguém, sem experiência alguma, a escalar sozinho uma montanha de 6.300 metros para encontrar o Espírito Santo? De onde lhe veio a idéia de que numa montanha encontraria o Espírito? E como convertido e aparentemente vocacionado, ainda não encontrara o Espírito? O que ensinaram a este jovem na igreja e depois no seminário? Sei que a família está sofrendo e que é hora de consolar, mas não posso deixar de dizer: quanta gente tonta, sem noção das coisas, e usando a espiritualidade como pretexto para a falta de juízo! Mas isto é reflexo do cristianismo que pregamos e cantamos hoje em dia. Cantamos autênticos absurdos teológicos e que se chocam contra a Bíblia, e ficamos por isto mesmo. As pessoas não pensam no que cantam, mas se apenas o ritmo é bom, agitado e as faz sentirem-se bem.

Temos um cristianismo cada vez mais sem Cristo, e cada vez mais com o Espírito Santo, sendo que por Espírito Santo as pessoas entendem uma experiência extra-sensorial. Porque uma experiência com o Espírito aproxima mais de Cristo, pois esta é sua missão. O evangelho está se tornando um ajuntamento de sentimentos, sensações, experiências místicas. Culpo um púlpito que não é exegético e corinhos ingênuos e até tolos. Os muitos corinhos que enxameiam nossa liturgia nos fazem cantar tantas inconveniências que fico abismado que pessoas razoavelmente lúcidas em sua vida secular cantem aquelas letras. Boa parte delas é confusa, sendo difícil ligar uma linha à outra. Pessoas que são professores cantam tantos erros de português, em que “tua” e “sua”, que são pessoas diferentes, se misturam e por vezes nem se sabe quando se fala de Deus ou de alguma outra pessoa. Raramente se fala de Jesus, e quando se fala dá para notar que Jesus é cada vez mais um conceito para dentro qual as pessoas projetam seus sonhos de consumo ou de classe média, que o Redentor e Salvador. A linguagem é horrorosa: mergulhar nos teus rios, beber nos teus rios, voar nas asas do Espírito, subir o monte de Sião, estar apaixonado por Jesus, subir acima dos querubins, uma série de expressões que não fazem sentido algum. Mas os compositores estão acima da crítica, mesmo quando fazem coisas ridículas, como andar de quatro em público. E quem canta os tais corinhos se sente bem. E também não aceita correção. Quem tenta corrigi-los em suas heresias e tolices é vaidoso, carnal, fossilizado, etc. O que vale não é se o que se canta é certo, mas se faz bem. As pessoas querem se sentir bem e ter alguma experiência. O conteúdo do que se canta é irrelevante. Sendo honesto: não agüento mais cantar corinhos! Chamem-me de vaidoso ou pernóstico, que não fará diferença, mas a maior parte dos corinhos, mesmo que na nova semântica se chamem pomposamente de louvor, é uma ofensa a quem sabe ler e interpretar um texto e tem uma noção mínima de conteúdo da Bíblia.

“Eu tenho a força”, bradava He-Man. Uma força mística, não divina, mas uma energia cósmica. Parece-me que é essa força espiritual que as pessoas buscam. Eles não querem aprofundamento no evangelho nem estudar a Bíblia. Eles querem sensações e experimentar uma força. O evangelho está se diluindo no esoterismo que grassa no mundo atual.

Esta é uma palavra especial aos pastores e ministros de música, que julgo eu, são as pessoas mais responsáveis pelo que acontece e que podem mudar a situação. Quero alinhavar algumas sugestões e lhes peço, respeitosamente, que pensem nelas.



1. FUJAM DO COPISMO

Chacrinha dizia que “na televisão nada se cria, tudo se copia”. No cenário evangélico também. Há uma usina produtora de corinhos, de forma comercial, que massifica nossas igrejas. Nossos jovens cantam as mesmas coisas vazias em todos os lugares. Em várias igrejas se vê a mesma deselegância de adolescentes robustas, saltitando, num monte de véus, no que pretende ser uma coreografia, mas que mostra gestos descoordenados e deselegantes. Chega a ser triste de ver as pessoas saltitando sem habilidade e com uns gestos que nada têm a ver com o ritmo da música. E a gente fica sem saber o que fazer: se olha as jovens pulando, se pensa no que está cantando, se nota as figuras do multimídia, ou os erros de português das letras, ou ainda o embevecimento do chamado “grupo de louvor”, que volta atrás, repete uma estrofe (quando há estrofe), tremelica a voz, faz ar de quem está sentindo dor. Mas é o padrão na maior parte das igrejas. Parece um shiboleth. Quem não faz assim corre risco de ser execrado. Porque os detentores da verdade litúrgica inovadora são fundamentalistas: fora do modelo deles não há louvor nem espiritualidade. Mas eu pergunto: é preciso fazer tudo igual? Convencionou- se que sim, porque ser antiquado é uma ofensa inominável. E para alguns, fora do padrão corinhos e danças tudo é velharia e não há espiritualidade.

Se você é líder e não concorda, diga que não concorda. Não ceda por medo. Há pastores que têm medo de perder o pastorado e cedem a direção do culto aos jovens. Eles cantam, cantam, e depois se sentam e se desligam do resto da atividade, quando não saem do templo. Há um descompasso entre o que se cantou e o que se prega. Porque se canta um evangelho muito diluído. Há pastores que têm medo de perder o rebanho, massificado por este padrão, e o usam. Tenho ido a igrejas em que pastores ficam alheios aos corinhos (recuso-me a chamá-los de “louvor”), mas dizem-me candidamente: “Eu não gosto, mas o pessoal gosta”. Ele deixa de ser o orientador do povo e passa a ser um garçom que serve o que o povo gosta. Ministro de música também age assim. E também está errado. Se estudou música e passou por um seminário deve ter uma proposta de liturgia menos medíocre e que atenda a todas as faixas etárias da igreja. É sua responsabilidade. Nossos cultos estão sendo empobrecidos pelos corinhos. A música é de baixa qualidade e as letras são aguadas. Os corinhos são cada vez mais efêmeros. Ministro de música, não copie a pobreza musical e intelectual dos corinhos. Pensar não é pecado. E ser inteligente também não é. Se os “levitas” podem discordar dos que chamam depreciativamente de “conservadores”, por que nós, conservadores, não podemos discordar dos “mediocrizadores” da música evangélica?



2. O QUE A BÍBLIA DIZ?

Tudo na igreja deve ser submetido ao crivo da Bíblia, inclusive o que se canta. Os compositores não estão escrevendo uma nova revelação e estão sujeitos ao crivo da Bíblia. Devem ser humildes e não pensarem de si como oráculos de Iahweh. Quem queira subir o monte santo de Sião deve ler Hebreus 12.22-29 e ver que ele é um símbolo do evangelho, da igreja de Deus, e que cada crente já está nele. O monte Sião não tem nada para nós. Quem queira subir acima dos querubins deve ler Isaías 14 e verificar que alguém quis fazer isto no passado e foi expulso do céu. Quem cante “Quero ver a tua face, quero te tocar”, deve se lembrar que Deus disse a Moisés: “Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá” (Êx 33.20).

As primeiras declarações de fé da igreja foram expressas em cânticos. Muitas afirmações litúrgicas do Novo Testamento foram expressões teológicas que firmaram os cristãos. Lutero firmou a Reforma com suas pregações, seus escritos, mas muito mais com seus cânticos. São cânticos que ficam na mente e muita gente está subindo o monte porque canta isto. A igreja precisa cantar sua fé e sua fé está na Bíblia. Toda letra de cântico deve ser submetida ao crivo bíblico. O certo não é o que a pessoa sente nem se o que ela canta lhe faz bem. O certo é o que está de acordo com a Bíblia.

O conteúdo do evangelho foi muito definido: Cristo crucificado. Mas pouco se cantam Cristo e a sua cruz. Precisamos cantar o ensino da Bíblia. “Doce canto vem no ar com a primavera, Flores lindas vão chegar com a primavera, Lírios, dálias e alecrins, Violetas e jasmins, O sol vai brilhar, passarinhos vão cantar, Com a primavera”. O que isto tem a ver com Cristo, com a salvação, com a segurança dos salvos?

Temos abandonado a Bíblia como fonte de doutrina, trocando-a por revelações e sonhos de gurus. Temo-la abandonado como inspiradora de modelo gerencial para a igreja, assumindo padrões de administração humana. Muita pregação, mesmo com ela sendo lido, é apenas emissão de conceitos culturais, e sendo ela mero pretexto para o discurso. E temo-la deixado de lado como balizadora do que cantamos. A função do cântico não é distrair as pessoas nem fazê-las sentir-se bem no culto, mas ensinar as grandes verdades de Deus. O culto deve ser doutrinador, sim. Preguei num congresso de jovens em Manaus, e deselegantemente, o dirigente tomou a palavra após minha fala e disse: “Não me interesso por doutrina, e sim por Jesus”. Pedi o microfone de volta e fiz uma pergunta: “Sem doutrina, que Jesus você tem?”.

Com nossos cânticos atuais, não temos Jesus. Em muitos deles temos um espírito de grupo, uma cultura grupal ou um Espírito que mais se parece com a Força de He-Man que com o Espírito Santo. É preciso subordinar tudo ao crivo da Bíblia. O evangelho está se tornando cada vez menos bíblico e mais sentimental. Porque está faltando Bíblia.



3. NÃO DESPREZE SUA HERANÇA TEOLÓGICA E LITÚRGICA

O terceiro aspecto que abordo é este: não despreze sua herança teológica e litúrgica. Há uma tradição que engessa e que fossiliza. Mas há uma tradição que enriquece e que dá balizamento. O evangelho não começou agora. A igreja não surgiu há alguns poucos anos. Os momentos de louvor e adoração não foram criados agora. Muitos deles, no passado, deixaram marcas profundas de avivamentos que impactaram a sociedade.

Até agora caí de tacape e borduna nos corinhos, sem abrir espaço para reconhecer que alguns sejam bons. Foi de propósito. Creio que consegui um pouco de atenção. Creio que há cânticos bons e que trazem conceitos espirituais seguros. São coerentes, biblicamente falando. E respeitam a herança teológica do protestantismo. Porque este critério também tem valor: os cânticos estão reafirmando nossa fé ou modificando a nossa fé? Infelizmente, a maioria me deixa desconfortado: não os canto porque não expressam minha fé, a fé em que fui criado, a “bendita fé de nossos pais”, como diz um hino.

Nós temos um passado e não podemos fugir dele. A ignorância do passado leva a cometer os mesmos erros cometidos. Houve uma longa luta para firmar o cânon do Novo Testamento, e precisamos lembrar que é ele que interpreta o Antigo. Muita gente tem cantado o Antigo Testamento, mas nós somos cristãos. Nós cantamos a fé em Cristo. Se o Antigo Testamento é pregado, deve ser interpretado pelo Novo. Se o Antigo é cantado, deve ser interpretado pelo Novo. Estão querendo rejudaizar o evangelho, questão que a igreja já resolvera em Atos 15 e contra a qual Paulo escreveu a sua mais dura carta, a epístola aos gálatas. Somos filhos do Novo Testamento, e não do Antigo. Somos filhos dos evangelhos e das epístolas, e não de Salmos, embora Jesus os usasse. Mas seu próprio jeito de usar os salmos nos orienta: ele os reinterpretou em sua pessoa. Cantemos Jesus, cantemos a fé cristã e não meras sensações, cantemos a cruz, o túmulo vazio, o perdão dos pecados. Cantemos a Igreja, e não Israel. Somos cristãos e não judeus. Cantemos que “a cruz ainda firme está e para sempre ficará”.

Somos salvos pela graça por meio da fé em Cristo. Não somos salvos pelo Espírito Santo nem por uma experiência litúrgica. O Espírito é uma pessoa e não sensações: “O Espírito Santo se move em você com gemidos inexprimíveis” é algo sem sentido. Ele geme por nós, em oração, com gemidos inexprimíveis (Rm 8.26). Mas não se move dentro de nós, com gemidos. O ponto central do evangelho é Cristo e sua cruz. Este é nosso tesouro teológico, herança à qual devemos nos agarrar. Qualquer cântico que deslustre isto, que diminua Jesus, que esmaeça a cruz, é blasfêmia. Não quero cânticos de auto-ajuda. Quero Jesus e sua cruz. Quem tem Jesus não precisa de muletas emocionais. Quero cânticos bíblicos, de acordo com a fé que uma vez foi entregue aos santos (Jd 3).



CONCLUSÃO

Sei que foi uma palestra dura. Não vou me desculpar porque o que eu disse é o que eu creio. Sim, estou cansado da ditadura litúrgica que me parece associada a um fundamentalismo: só nós sabemos o que é espiritual e vocês estão fora, são do passado, são frios, são formais. Eu me recuso a cantar bobagens com roupagem espiritual. E desafio vocês a restaurarem a liturgia com conteúdo, com ensino. Desafio-os a não cederem à força da pobreza litúrgica que nos avassala.

Há algo mais comovente e com mais conteúdo que “Castelo Forte”, “Aleluia”, “Amazing Grace”? Por que a ditadura dos corinhos? Por que, no natal, sou obrigado a cantar que quero voar nas asas do Espírito? Que os compositores de corinhos componham música de boa qualidade com letras de conteúdo, e ajustada às épocas, também. Os corinhos são monocromáticos. Dizem sempre a mesma coisa. Nunca ouvi um exortando à confissão de pecados, falando do natal, da dedicação de crianças, da semana da paixão, de missões, da Bíblia como Palavra de Deus. Tudo é igual: louvar, adorar, contemplar, sentir-se bem. Não permitam a monocromia, que é sinal de pobreza.

Escrevi, tempos atrás, um artigo intitulado “Quero uma igreja velha”. Esta palestra é um desabafo e um pedido de ajuda: “Socorro, quero um culto velho”. Com a Bíblia exposta, com solenidade, com cânticos com nexo, com os grandes hinos de nossa fé, com Cristo e sua cruz brilhando. Sim, estou cansado da liturgia atual, que é pobre e alienante.

Preparado pelo Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho para o Encontro de Músicos, na PIB de Manaus.

Deus nos abençoe e use!
Dc. Henri - Membro da OBBH.

terça-feira, 27 de abril de 2010

A GRAÇA DA GARÇA AO VIVO - GRAVAÇÃO DO DVD "JESUS FAZIA ISSO"



letra do rap:


A graça da garça.
A arte de viver em meio a lama sem sujar as vestes.

A paz do Senhor, agradeço pela rica oportunidade pois o momento é oportuno pra que alguém fale a verdade.

O Espírito Santo toma o meu ser e guia a ponta da pena, eu já começo a receber a luz do grande Estratagema.

Entrego todo o meu ser e toda minha premissa, então começa a nascer fome e sede de justiça.

Crescemos acreditando em alguns personagens dos púlpitos, mas descobrimos que alguns da liga da justiça eram corruptos, mas ai de nós que temos espírito de ousadia, no mínimo dirão que é espírito de rebeldia.

Deus tem o Espírito Santo, o Diabo espírito imundo, os homens criaram espírito de rebeldia pra manter nosso espírito mudo.

shhh, calado! Nem pense em fazer cara feia.

É melhor não discordar se quiser participar da ceia.

Eu vim pra fazer graça, mas não sorria porque é sério, foi fazendo essa mesma graça que morreu Martin Lutero.

Nossos teólogos respondem perguntas que ninguém fez, nossos representantes são servos submissos da altivez, eu prefiro seguir ao Mestre que nos ensinou a lição: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração".

E os programas de TV que eram pra pregar salvação estão fazendo propaganda de igreja e divulgação de livros e revistas, cds e dvds e transformando o servo humilde em um fantoche em seus porquês.

Cadê a pregação da cruz? pegaram emprestado como emblema o nome do nosso Senhor Jesus, mas quando forem aplaudidos pensando que se deram bem... não se esqueça que Deus não divide sua glória com ninguém.

A graça da garça.
A arte de viver em meio a lama sem sujar as vestes.

Num país onde nosso futuro dorme em baixo de viadutos com
frio, febre e fome, infelizes mentes de adultos,

os nossos profetas diriam: "Eis que também não vivem na luz"

E eu te pergunto no evangelho o que diria Jesus?

O Filho do homem não tem lugar pra reclinar a cabeça,
alguém me explique este evangelho antes que eu enlouqueça!

Qual evangelho está certo? O de Jesus ou o da igreja?
Me explique irmão! Porque esta expressão de surpresa?

Vejo que não é o mesmo evangelho, conquanto,
nos ensinam a chamar nossas culpas de Espírito Santo.


Porque as mulheres que por Jesus foram perdoadas
hoje por nós são vitimadas, julgadas e apedrejadas?

Por que o confesso é excluído? Por que o possesso é incluído?
Por que os que foram injustiçados sempre fecham comigo?
Por que os que cobrem seus pecados são chamados de amigo
enquanto o confesso que pede perdão é humilhado e banido?


Eles bradam arrependei-vos sem arrependimento,
depois que conheceram as riquezas já não pregam o arrebatamento.

Não acho ruim ter mansão, nem carro nem condição,
nem lancha, nem ter dinheiro, nem jato nem avião.

Só digo uma coisa meu irmão, melhor prestar atenção:
"onde estiver seu tesouro estará também o coração."

Os nossos levitas fazem show, sua fama é um mundo ilusório,
já não existe adorador, só animador de auditório.

Viram? Eles já não levam mais a arca da aliança
porque são carregados por um bando de seguranças.

Deus vê todas as coisas, nada lhe é oculto nas cidades,
mas ainda procura quem o adore em espírito e em verdade.

E a nossa fé a cada dia vai descendo ao declive,
Deus destruiu Sodoma e Gomorra mas o seu espírito ainda vive:

Quem não tem carro e dinheiro tem encosto,
quem tem bens, ações e milhões paga o imposto,
me diga, esse é o evangelho por Jesus Cristo proposto?

Porque o antigo brilho no olhar já não está no seu rosto?
Eles bradam como João Batista e são mestres,
mas ninguém fica no deserto comendo gafanhoto e mel silvestre.

Terno de microfibra, sapato italiano modelo,
mas ninguém quer ficar no sol vestindo pele se camelo.

Numa coisa eles imitam a João Batista, reconheça,
receberam a missão de acabar perdendo a cabeça.

Loucos! E se hoje te pedirem a tua alma?
Louco! Pra que te servirá todas as palmas?
Louco! Se a selva de concreto se tornou tua mansão
não se esqueça que nela Deus soltou seu filho o Leão.

A graça da garça.
A arte de viver em meio á lama sem sujar as vestes.

Mas quem tem fome e sede de justiça farto será!
Eles falam em línguas estranhas o que eu faço é interpretar.
Ela desce a minha face, as vezes mais quente que o magma,
eu interpreto língua estranha por que Deus interpretou minhas lágrimas.

Arrependa-se, não viva mais uma vida de farsa,
não deixe Satanás sorrir do que você chama de graça.

Nós não precisamos de saquinho de sal pra apaziguar nossa guerra,
nós somos a luz do mundo, nós somos o sal da terra!

Nós não precisamos de pedrinha de Israel
porque temos a pedra de esquina chamada Deus Emanuel!

Eu não quero pão de Jerusalém, nem mesmo água ungida,
Já bebi águas vivas, já comi o pão da vida!

Eu não creio em oração poderosa, dela eu tenho aversão,
Eu creio num Deus poderoso que ouve a minha oração!

Eu pensei que eles não me aceitavam por causa do ritmo,
mas agora sei que não me aceitam porque eu prego o evangelho legítimo.

Mas como foi escrito nos tempos remotos da antiguidade:
Que eles rangeriam os dentes ao ouvir a verdade.

Enfim no grande dia em que Deus mostrar seu poder,
verá que o evangelho fez graça, mas nunca brincou com você!

A graça da garça.
A arte de viver em meio a lama sem sujar as vestes.

Deus nos abençoe e use!

Dc. Henri - Membro da OBBH.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Cantor Cristão e Hinário Para Culto Cristão

Não é no Cantor Cristão ou no Hinário Para o Culto Cristão que encontramos problemas para odiá-los.
O problema está no coração das pessoas.
Aqueles que ainda não foram transformados de criaturas em filhos precisam satisfazer suas emoções carentes de prazer. E por isso não conseguem jamais essa satisfação com algo tão sério quanto os hinos. É uma questão de vício que não se resolve cantando louvor a Deus. É preciso muito mais do que isso.
Aqueles que desejam adorar a Deus não dependem de motivação outra porque já tem. Afinal ser transformado de criatura em filho é sobrenatural!
E a Nova Criatura não depende das emoções para demonstrar a Alegria.
Mas temos dentro das Igrejas (os líderes permitem isso) continuamente as criaturas e essas precisam, carecem de motivação para que demonstrem entusiasmo e euforia nas reuniões que a Igreja faz.
E como permanecem meras criaturas acabam obrigando os filhos de Deus participarem das bagunças também.
Por exemplo, o que você pode dizer a alguém apaixonado?
Precisaria de pedras preciosas para conquistar o coração de alguém apaixonado?
Quanto ou o que seria preciso oferecer para que você concordasse encontrar a pessoa que você ama? Você precisaria de algum incentivo para isso?
Mas aqueles que ainda não foram transformados pelo poder do Evangelho precisam de motivação para estar na reunião da Igreja.
Pena é que dificilmente deixarão de ser criatura porque durante toda a sua vida lhes é oferecido apenas algo que lhes satisfaça a carne e valorize o "Eu".
E salvação vem através da fé por ouvir (e cantando se ouve) mas ouvir a Palavra de Deus.
Para quem não conhece cito os hinos do HCC 382 e 130, e os hinos do Cantor Cristão 398 e 401.
Comparem com quaisquer cânticos que temos nos dias de hoje e me digam o que conseguiram concluir. Apenas estes quatro!
Enquanto isso somos obrigados a ouvir, quando não a cantar também, o que é cantado por aí devido a imposição das rádios "Gospels".
Dc. Henri- Membro da OBBH.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Amarguras!

Na sexta feira eu fui lendo a Bíblia no ônibus e esse texto de Hebreus 12:15 ficou me chamando a atenção.

Não entendi o texto de imediato.

Então, depois de meditar um pouquinho nele, dei continuidade nos versos seguintes... e qual não foi a minha surpresa com o que o Espírito Santo fez comigo!

Mostrou-me o que Ele queria ao apontar-me o verso 15.

Raiz de amargura...

Os versos 16 e 17 parecem completamente fora do contexto diante do verso15. E fiquei intrigado com eles. Afinal, o que teria a fornicação ou devassidão apresentada como coisa a se não fazer, com a contaminação e perturbação do brotar de uma raiz de amargura? Onde estaria a ligação desse verso com o 15 ?

Então vamos ler o que temos sobre Esaú, sobre quem o texto está advertindo para que não tomemos atitude semelhante.

O problema se deu quando o irmão de Esaú ficou com a primogenitura que Esaú considerava dele. Bem, digo considerava porque Esaú negociou essa primogenitura com Jacó.

Mas na hora de receber a primogenitura Esaú não quis cumprir o trato que fizera com Jacó.

No entanto Jacó foi mais rápido, apresentando-se diante do seu pai Isaque e recebendo dele a bênção da primogenitura.

Quando Esaú chegou e percebeu que seu irmão Jacó já havia tomado a primogenitura, Esaú ficou tão aborrecido que intentou no seu coração matar seu irmão Jacó assim que o seu pai Isaque morresse. E Esaú disse isso de maneira que a sua mão Rebeca ouviu e percebendo a amargura de Esaú e que isso traria como resultado a morte do seu outro filho Jacó, resolveu convencer seu esposo para que enviasse Jacó para bem longe dali. E Jacó teve de ir para uma terra longínqua. Tão longe ele ficou e tanto tempo ali permaneceu que não teve mais notícia de sua mãe, do seu pai e do seu irmão. Sua mãe morreu enquanto ele estava distante deles.

Durante o tempo que permaneceu longe de casa Jacó conseguiu muita riqueza e prosperidade material. Ele teve muitos filhos.

Jacó foi muito explorado por seu tio e sogro Labão e então resolveu retornar para casa com sua família e os bens que adiquirira. Mas havia um problema muito difícil de resolver.

E é aí que entra a ação do Espírito Santo na minha vida enquanto lia esse texto. Foi maravilhosa a atuação ao apontar para esse texto, mostrando-me o ensino sobre raiz de amargura.

Como é que Jacó poderia retornar para casa se o seu irmão havia dito em alta voz que o mataria assim que o seu pai morresse?

E é facilmente percebida a apreensão de Jacó diante do que poderia acontecer com ele e sua família ao encontrar-se com seu irmão.

Gênesis 32 7 Então Jacó temeu muito e angustiou-se; e repartiu o povo que com ele estava, e as ovelhas, e as vacas, e os camelos, em dois bandos.

Em sua memória permanecia os gritos dados pelo seu irmão Esaú quando ele percebeu que toda a bênção da primogenitura havia sido entregue a ele, seu irmão mais novo.

Quantos de nós também está passando ou passou pela mesma aflição de amagura?!

Isso porque a amargura atinge tanto quem a deseja o mal quanto quem o sofre.

E Jacó sofreu por muitos anos os efeitos dessa amargura que lhe consumia constatemente através da lembrança da reação que seu irmão Esaú teve. Bastava fechar os olhos para que a face irada e rancorosa do seu irmão Esaú estivesse diante dele, como se estivesse de fato ali presente pronto para cumprir o que desejara naquela época, mesmo tendo passado tanto tempo. Aliás, o tempo não serve para amenizar rancores. Antes, normalmente os rancores aumentam com o tempo.

Está assim caminhando para o entendimento o que temos no capítulo 12 de Hebreus 15 Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.

Jacó estava contaminado e perturbado pela amargura que carregava consigo, mesmo não sendo dele! A amargura era de Esaú!!!

E por causa da amargura percebida em Esaú, Jacó ficou privado da Graça de Deus permanecendo distante de seus pais e único irmão!

Em sua estratégia de aproximação com seu irmão Jacó demonstra o quanto apreensivo e aprisionado estava daquela amargura.

Jacó se deu ao trabalho de enviar muitos animais na frente com seus servos. Ele desejava amenizar a situação com essa atitude. Se o seu irmão estava furioso com ele por causa dos bens que a bênção lhe dava, ele imaginou que enviar bens materiais como aquela quantidade enorme de animais poderia ajudar. E foi isso que ele fez. Enviou mais de quinhentos animais na frente para que fossem entregues ao seu irmão, desejando conquistar a simpatia e anular o seu furor.

Mas Jacó não ficou sossegado com isso porque ele não tinha como medir o ódio, a amargura que permanecia no coração do seu irmão. E a situação piorou muito quando recebeu a notícia que o seu irmão estava indo ao seu encontro, mas que não iria sozinho pois levava quatrocentos homens com ele.

E por que estava indo com tanta gente?!

Apenas uma coisa passou pela mente de Jacó...a lembrança das últimas palavras que ouviu do seu irmão...palavras de ameaça de alguém que estava com profundo ódio e que por isso passou a nutrir rancor.

Não passou pela mente de Jacó que Esaú poderia ter avisado com alegria aos seus amigos que o seu único irmão estava voltando após longos anos distantes e os tenha convidado para ir juntos recebê-lo!!!

Quanto tempo Jacó guardou aquela amargura dentro de si, à toa!

Que aprendamos a lição!

Dc. Henri - membro da OBBH.

Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Igreja é um corpo.

No livro "Cutucando - O que as Igrejas toleram e a Bíblia reprova", o autor Haroldo Reimer aborda em um dos capítulos que "o corpo produz anti corpos" que agem contra quaisquer bactéria ou vírus intrusos que queiram invadir o corpo . Ele diz que a Igreja que é um corpo também tem os anti corpos, citando que Deus usou os Apóstolos para ministrarem os anti corpos através do que escreveram.

Mas assim como acontece no nosso corpo, as vezes as bactérias e os vírus conseguem burlar os anti corpos devido a baixa imunidade do corpo por causa de disfunções ocasionadas por estresses ou más condições ambientais e ou alimentares, pode acontecer também com o Corpo Igreja.

No caso de transplante ou recebimento de órgãos como o coração, por exemplo, existe a necessidade de agir impedindo que os anti corpos atuem na sua função, pois eles se reunirão para atacar aquilo que consideram como "corpo" estranho, no caso o coração recebido. Nesse caso o paciente tem de ficar em local estremamente esterelizado para que as bactérias não tenham acesso ao seu corpo, já que os anti corpos são impedidos de atuar.

Assim, o nosso inimigo satanás, consegue injetar na Igreja substâncias que inibem ou mesmo impedem que os anti corpos atuem enquanto seus ministros realizam o "transplante" de órgãos.

E hoje, no meu entender, uma das maneiras mais eficazes que o diabo usa para fazer entrar esses anti corpos que chamamos de heresias é através da música.

Através da música satanás tem conseguido êxito no seu objetivo de enfraquecer e afastar a Igreja da adoração verdadeira através das heresias injetadas.

Cabe a todos aqueles que tem consiência disso atuarem no esclarecimento e conscientização da Igreja para esse mal.

Percebemos muitas Igrejas praticando o transplante de "órgãos" desejosas em melhorar a eficiência do "Corpo". Ouso dizer que tais "órgãos" doados pelos sistemas de organização no sistema mundial, quais "táticas de crescimento", "atividades para a Igreja" e outros que aparecem qual "Igrejas com Propósitos", precisam, todos eles, que os anti corpos sejam impedidos de atuar na Igreja para que não haja eliminação desses novos órgãos, os quais seriam corretamente considerados estranhos ao "Corpo".

Sendo assim, como não se pode colocar a Igreja em um "CTI esterilizado" para que a Igreja permaneça completamente isolada do mundo, as bactérias e vírus mundanos invadem a Igreja deixando-a debilitada sem condições de exercer com vigor a adoração a Deus e a Evangelização cujo poder transfora criaturas em filhos de Deus. E sem essa transformação através do poder do Evangelho a Igreja passa a inchar causando a falsa percepção de que está crescendo.

E por causa da impressão de crescimento os líderes dessas Igrejas passam a ser considerados ícones para o crescimento de Igrejas sendo convidados para realizar palestras e conferências afim de que outros líderes possam aplicar nas Igrejas que lideram o mesmo método! Como um mal se espalha rápido, isso vai se espalhando pelas Igrejas rapidamente.

A Igreja fica enfraquecida e dessa maneira a Ela não consegue alimentar-se corretamente, pois não se oferece feijoada para aqueles que estão debilitados. E como precisa manter-se pelo menos minimamente "alimentada" a Igreja passa a receber um pouquinho de "papinha" !!! E as músicas precisam também ser fraquinhas quais suquinhos adocicados para que não causem reação ao corpo!

Mensagens direcionadas para o bem estar, auto confiança, poder da mente e auto controle, são as "papinhas" ministradas como se fosse alimento. E para induzir a Igreja nessa alimentação fraca e praticamente inócua, usa-se o atrativo das danças e músicas que tragam entretenimento e incentivem os membros desejarem encontrar-se para aquilo que deveria ser culto a Deus mas que acaba tornando-se um culto ao "Eu". E também usa-se as músicas que acompanhem esse tipo de mensagens dizendo e enfatizando o valor que cada membro desse corpo tem e da sua importância como pessoa inteligente e atuante na administração da Igreja, trazendo satisfação do ego, a alegria momentãnea produzida por essa satisfação e promovendo ainda mais a busca incessante dessa alegria. Uma contínua busca da alegria pela alegria num círculo vicioso que não produz efeito duradouro e que acaba na primeira decepção que vier.

Uma das maneiras que vejo como possibilidade de reação da Igreja seria a ministração de hinos que possuam conteúdo Bíblico. Assim ficaria mais fácil abandonar a "papinha' e ministrar alimento sólido conforme temos na Bíblia.

Considero que não há a possibilidade de se conseguir isso com o novo órgão implantado no Corpo como se fosse do Corpo (ICP, G12 e outros).

Afinal, enquanto estes órgãos estranhos permanecerem no Corpo da Igreja eles serão intrusos e duas coisas acontecerão: Ou serão rejeitados pelos anti corpos ou eliminarão os anti corpos para que permanceçam destruindo aos poucos o Corpo !

Ainda bem que Deus oferece a oportunidade de arrependimento a todos aqueles que perceberem o erro!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Evoluindo?!!!

Aí eu me pergunto: Poderíamos concordar que estaríamos "evoluindo"?!


Acho que se consegue até fazer que um macaco toque alguma coisa. Tenho minhas
dúvidas se os macacos se permitiriam, mesmo que lhes custasse a vida por falta
de alimento ou por mais choque tivessem de tomar, mas eu acho que eles jamais se
exporiam ao ridículo (pra mim macaco teria senso de ridículo) participando
dessas coisas que muitos humanos participam como se fosse música!

E ainda pior, tentam trazer essas coisas para dentro da Igreja para oferecer
como se fosse culto!

Sei que estou divagando por causa da minha mente lenta, que lentamente apresenta
um raciocínio, mas será que se fosse oferecida uma oportunidade aos macacos para
estarem conosco na Igreja, será que eles apresentariam uma coisa qualquer como
oferta de culto?

Talvez eles façam questão de que os consideremos irracionais para que não sejam
convidados a estarem conosco em determinados cultos, onde a Palavra exige que
seja racional e alguns insistem em "espiritualizar" com atitudes mentais e
expressões corporais indecentes e insinuosas!

Já pensaram sobre uma possível reação de uma macaco jogando "coisas" nos
adoradores por considerar uma afronta a Bíblia algumas atitudes deturpadoras que
se tem tomado por aí?

E seria explicável se os macacos considerassem os seres humanos deuses e os
adorassem lançandos seus excrementos como atitudes de louvor, ao invés de se
prostrarem diante dos humanos e os adorassem com dignidade! Dá-nos repulsa
imaginar tal coisa?

E fazermos e incentivarmos tal coisa (lançar excrementos) como sendo a nossa
melhor adoração, não nos causa repulsa?!

Imaginem os macacos olhando para uns para os outros e meneando a cabeça (eles
tem cabeça) por observarem as aberrações oferecidas no louvor como se fosse
adoração que acontece dentro das Igrejas!

Interessante que estava falando sobre a genialidade do compositor Bach!
Perdoe-me professora West Ney por sair completamente do assunto.

Acho que estou precisando conversar um pouco com alguns macacos! Quem sabe eles
me dirão para não ligar para tudo isso que está acontecendo porque são coisas de
"homens" ímpios,humanóides!

E por falar em Bach, coitado dele! Imagino que jamais ele tenha pensado na
possibilidade de que no futuro, com tanta tecnologia a disposição, o ser humano
fosse capaz de regredir tanto! Coitado também dos macacos que são citados como
sendo nossos ancestrais!!

Daqui a cento e cinquenta anos (se houver alguém ou se Cristo não tiver voltado)
pegarão os rítimos de hoje e... avaliando-os, questionarão como esses seres
pobres e débeis mentais conseguiram viver nessa nossa época atual?! E digo isso
fazendo uma comparação de Bach até hoje.

Será que a idade está me deixando velhaco e saudosista inveterado?!

Comparando as composições musicais de Bach e o que se cantava para Deus naquela
época com o que temos sido obrigados a fazer passar pelos nossos ouvidos
(tristeza),quando passamos pela rua ou quando o som é de tal maneira alto que
não podemos evitar, e o que atualmente se usa como cântico para Deus (e que por
estarmos no mesmo recinto não podemos também evitar), poderíamos dizer que
estamos regredindo, tanto numa maneira quanto noutra!

Incrível! Veio a minha mente a pergunta: "Quem nos separará do Amor de Deus?!" A
música!!! Mas a música ruim!!!Será?! Continuo divagando! Nem a música ruim!

Finalizo, agradecendo a irmã professora West Ney, pela oportunidade oferecida de
perceber o que um ser humano é capaz e louvando a Deus pela capacidade que Ele
dá a quem quer.

Que essa mensagem no YOU TUBE alcance muitos, de tal forma que nossa conciência
seja tocada para fazer o melhor, buscando em Deus o que Ele tem para nos dar, e
através do que Ele nos der oferecermos a Ele como nosso culto.


Dc. Henri - membro da OBBH.

Felicidade é estar no centro da vontade de Deus!!!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

As Falhas do Apóstolo Paulo.

Agora você pode ver e ouvir o que escrevi.
Deus nos abençoe!
Dc. Henri - Membro da OBBH.